Gynostemma Pentaphyllum 225mg

0 Pedidos
#
Em Estoque
R$45,00 R$133,10
Clear selection

Descrição

GYNOSTEMMA PENTAPHYLLUM

Erva adaptógena da gordura visceral

NOME CIENTIFICO: Gynostemma pentaphyllum

FAMILIA: Cucurbitaceae

PARTE UTILIZADA: Toda a erva SINÔNIMOS:

Jiaogulan, cipó-doce, erva-da-imortalidade, ervamilagrosa, ginseng do sul, amacha-zuru (Japão), penta chá, dungkulcha (Coréia)

INTRODUÇÃO

Gynostemma pentaphyllum tem sido e é muito utilizada pelos povos das montanhas no sul da China e norte de Vietnã como erva para a longevidade e, sendo consumida regularmente a sua infusão em forma de chá. Esse fato motivou um pesquisador japonês a investigar a relação entre longevidade e o consumo de Gynostemma constatando assim que o chá tomado por longos períodos, apresenta um efeito antienvelhecimento no corpo humano. Algumas propriedades da Gynostemma têm sido comprovadas, como por exemplo, promover a presença da enzima superóxido mutase, a qual permite a defesa antioxidante endógena na maioria das células expostas ao oxigênio.

Diversas pesquisas têm demostrado a redução nos níveis de colesterol no sangue, particularmente o nível de LDL o “colesterol mau”, assim como o dos triglicerídeos, entretanto, eleva o nível de HDL o “colesterol bom”. Também tem-se observado nos estudos, que aumenta a atividade dos linfócitos T e pode atuar como inibidor tumoral.

Indicado também para tratamento da hipertensão arterial. Os testes de laboratório demostram que Gynostemma pentaphyllum estimula a liberação de óxido nítrico, causando o relaxamento dos vasos sanguíneos, induzindo a redução de pressão arterial.

Num estudo, os gipenósideos administrados às pessoas com hipertensão de grau II, mostraram 82% de efetividade na redução da pressão arterial. Tem sido investigado também o seu uso no tratamento da diabetes.

DESCRIÇÃO

Gynostemma é uma trepadeira herbácea da família Cucurbitaceae proveniente do sul da China, Coreia do Sul e sul do Japão e norte da Tailândia. Chamado também de medicamento herbal, é conhecido por seu poder antioxidante com efeitos adaptógenos. É uma pequena planta de cinco folhas de videira da mesma família das plantas de pepino e uma variedade de plantas dos gêneros Lagenaria e Cucurbita. Gynostemma pentaphyllum apresenta-se sob a forma de um pó fino amarelo claro, padronizado em mínimo de 80% de gipenosídeos.

PROPRIEDADES

As substâncias vegetais especiais que geram o efeito adaptógeno presentes na Gynostemma pentaphyllum auxiliam na manutenção da homeostase corporal, no balanço de hormônios endócrinos, dos sistemas imunológico e nervoso e também em outras funções biológicas, como por exemplo, aumento da resistência do organismo ao estresse, trauma, ansiedade e fadiga. A ação dos gipenosídeos, que apresentam elevada capacidade antioxidante, foi estudada em vários modelos de estresse oxidativo e, os resultados demonstram aumento da atividade da importante enzima SOD – superóxido dismutase. Mecanismo de ação: Seu mecanismo de ação primário se baseia na ativação de AMPK – proteína quinase ativada por AMP, que auxilia na manutenção do balanço energético. Página 3 de 6 AMPK e Longevidade A AMPK é uma enzima responsável por induzir uma cascata de eventos intracelulares em resposta à mudança da carga energética celular.

O principal papel da AMPK no metabolismo celular é a manutenção da homeostasia energética. A restrição do consumo de calorias já foi relacionada de diversas maneiras com a longevidade em várias espécies. Um estudo realizado pelo Centro Médico da Universidade de Stanford (EUA) identificou o mecanismo que desencadeia esse processo. Segundo a pesquisa realizada, a redução na quantidade de nutrientes faz com que a enzima AMPK auxilie a completar o processo de divisão celular, a mitose. Sendo assim, pesquisadores concluíram que a AMPK é capaz de reconhecer o estado de deficiência de nutrientes no organismo. Nesta situação, inicia-se um processo que estabiliza a mitose celular, evitando que ocorram alterações no material genético celular durante o processo que possam desencadear problemas como o desenvolvimento de células cancerígenas. A ação das enzimas é muito específica e a AMPK é ativada somente quando há falta de nutrientes, distribuindo nas células a energia necessária para a reprodução. A enzima AMPK também é capaz de distribuir o fosfato, que é essencial para a obtenção de energia celular durante a mitose em ambientes carentes de nutrientes. Trata-se de uma via alternativa que oferece proteção para o organismo em situações de estresse.

Como essa enzima se relaciona diretamente com várias proteínas, ela pode se tornar um potencial para regulação da célula e para prevenção e tratamento de doenças como o câncer. Caso o funcionamento dessa enzima não seja ativado ou não for feito de maneira correta, poderá ocorrer uma divisão anormal das células, e consequentemente o surgimento de doenças.

Uma vez ativada, a enzima AMPK exerce efeitos sobre o metabolismo da glicose e dos lipídeos, sobre a expressão gênica e síntese proteica.

Por fim, por ser moduladora de AMPK, a Gynostemma pentaphyllum atua:

• Auxiliando a redução da gordura corporal, principalmente a gordura visceral

• Ajudando a promover a redução do peso corporal

Embora algumas das saponinas presentes na Gynostemma sejam semelhantes às encontradas no Ginseng, Gynostemma tem quase quatro vezes mais saponinas e por isso se torna potencialmente uma erva muito mais poderosa.

Quando se trata de saúde cardiovascular, uma grande vantagem da Gynostemma é a redução do colesterol e triglicerídeos. Estudos mostram que também ajuda o organismo a transformar carboidratos disponíveis para os músculos diretamente em fonte de energia, ao invés de primeiro convertê-los em triglicérideos e armazená-los como gordura.

Além disso, pode ajudar a aumentar o colesterol HDL, reduzindo a variedade de LDL. Gynostemma também pode auxiliar o sistema cardiovascular de outras maneiras, como por exemplo, fortalecer o coração e promover aumento de batimentos cardíacos com o mínimo esforço. Um estudo chinês com 220 atletas descobriu que a erva ajudou a aumentar a eficiência cardíaca sem um concomitante aumento na frequência cardíaca ou pressão arterial. Atletas participantes foram capazes de produzir mais fluxo sanguíneo e enviar mais oxigênio para os músculos, sem forçar o coração a trabalhar mais, aumentando sua resistência.

ESTUDOS

Efeito antiobesidade do extrato de Gynostemma pentaphyllum (Actiponin): Estudo clínico randomizado, duplo-cego, placebo-controle De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), sobrepeso e obesidade são definidos como acúmulo de gordura anormal ou excessivo que aumenta o risco de diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e vários tipos de câncer.

Um certo número de drogas promissoras antiobesidade são desenvolvidas a cada ano, com eficácia comprovada em linhagens de células e modelos animais. No entanto, apenas alguns destes reagentes permanecem no mercado, uma vez que, a maioria é associado com efeitos secundários graves. Gynostemma pentaphyllum é uma planta trepadeira herbácea, da família das cucurbitáceas (pepino ou cabaça), amplamente utilizado em países asiáticos como Coréia, China e no Japão como medicamento tradicional ou chá.

Foi mostrado que os extratos totais ou saponinas obtidos a partir desta planta exercem uma vasta gama de benefícios como a redução dos níveis de colesterol e de glicose no sangue, fortalecendo a imunidade e inibindo o crescimento do cancro. Recentemente, foi relatado que a capacidade da G.pentaphyllum de extrair etanol da folha para ativar AMPK é aumentada por autoclavagem com aumento dos níveis de ativação de AMPK.

O objetivo do presente estudo foi documentar o efeito de 12 semanas de suplementação com actiponin, na composição de gordura corporal (especialmente gordura abdominal) em participantes obesos coreanos usando um estudo randomizado, duplo-cego, placebo-controle. Métodos: Ensaio clínico de 12 semanas, randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, seguido por um período de rastreio de três semanas. Avaliação durante a visita inicial, exame físico, eletrocardiograma e os testes de triagem dos parâmetros sanguíneos foram conduzidos em todos os participantes dentro de 3 semanas de triagem.

Durante o período de intervenção de 12 semanas, os participantes foram convidados a continuar suas dietas usuais e não tomar quaisquer outros alimentos funcionais ou suplementos alimentares. Parâmetros antropométricos, bioquímicos, tomografia computadorizada, sinais vitais e ingestão de nutrientes de ambos os grupos foram medidos antes e depois do período de intervenção. Durante a fase de planejamento do ensaio, todos os participantes foram instruídos a manter sua dieta normal e atividade física. Na quarta semana, foi solicitado aos participantes que relatassem quaisquer eventos adversos ou mudanças na formação, estilo de vida ou hábitos alimentares e avaliar o cumprimento. Participantes obesos (IMC ≥ 25kg m -2 e WHR ≥ 0,90 para homens ou WHR ≥ 0,85 para mulheres) que não haviam sido diagnosticados com alguma doença e preencheram os critérios de inclusão foram recrutados para o presente estudo. Os 80 participantes foram divididos aleatoriamente em grupo actiponin (n540, 450mg, dia 21) e grupo placebo (n540). Os resultados incluíram a medição de eficácia (distribuição de gordura abdominal, parâmetros antropométricos e perfis de lipídios no sangue) e de segurança (eventos adversos, resultados de exames laboratoriais, eletrocardiograma de dados e sinais vitais) da relação cintura quadril. Resultados: Durante as 12 semanas de suplementação com actiponin, a área total de gordura abdominal, o peso corporal, a gordura corporal, a porcentagem de gordura corporal e o IMC foram significativamente menores (P=0,044; P<0,05; P<0,0001; P< 0,0001 e P< 0,05, respectivamente) no grupo actiponin comparado ao grupo placebo. Não foram observadas alterações significativas em nenhum parâmetro de segurança. Conclusão: O presente estudo revelou que actiponin é um reagente antiobesidade potente que não produz qualquer efeito adverso significativo. Os resultados sugerem que a suplementação com actiponin pode ser eficaz para tratamento de indivíduos obesos.

INDICAÇÕES

• Antioxidante para aumento da longevidade

• Aumento de resistência (desempenho atlético)

• Redução de fadiga

 • Ação adaptógena

• Coadjuvante no tratamento para gerenciamento de peso

• Tratamento de dislipidemias

• Auxiliar para diabetes tipo 2

CONCENTRAÇÃO RECOMENDADA: 60 a 180mg/dia de gipenosídeos.

MODO DE USAR: Tomar uma cápsula duas vezes ao dia.

REAÇÕES ADVERSAS

Os efeitos adversos da Gynostemma incluem náuseas e aumento de evacuação.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Se o paciente faz uso de anticoagulantes, é recomendável consultar o médico antes de utilizar Gynostemma.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Hoa N.K.; Phan D.V.; Thuan N.D.; Ostenson C.G. (2009). “Screening of the hypoglycemic effect of eight Vietnamese herbal drugs”; Methods & Findings in Experimental & Clinical Pharmacology 31 (3): 165–9. la Cour B, Mølgaard P, Yi Z (1995) “Traditional Chinese medicine in treatment of hyperlipidaemia”; J Ethnopharmacol 46 (2): 125–9. Bensky, Dan; Andrew Gamble, Steven Clavey, Erich Stöger (2004) Chinese Herbal Medicine: Materia Medica, 3rd Edition. Eastland Press.

Informação adicional

Cápsulas

120 Cápsulas, 30 Cápsulas, 60 Cápsulas, 90 Cápsulas

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.